UE lembra conquista da paz, Venezuela e cabo ótico na festa da vitória

Criada após a Segunda Guerra Mundial com o intuito principal de chegar ao mercado único, a União Europeia (UE) chega a 2019 conquistando a paz entre as 28 nações que formam o bloco. “O objetivo máximo da União Europeia já foi atingido porque alcançamos a paz”, disse a encarregada de Negócios da UE, Claudia Gintersdorfer, durante festa, no centro de eventos Porto Vittoria, em Brasília.

A encarregada de Negócios da UE durante discurso na festa pelo Dia da Vitória. Foto: Claudia Godoy.
Gintersdorfer discursa para os convidados acompanhada pelos representantes dos países que formam a UE. Foto: Claudia Godoy.

Gintersdorfer ressaltou a participação da UE nas tentativas de negociação no conflito interno na Venezuela. “Nós estamos nos oferecendo para negociar uma saída pacífica para o conflito”, disse a encarregada de Negócios. A Venezuela enfrenta uma crise de disputa de poder entre o presidente bolivariano Nicolás Maduro e a oposição liderada por Juan Guaidó, que se autointitula presidente do país. Milhares de venezuelanos já deixaram o país em direção ao Brasil em função das dificuldades financeiras do país.

A Romênia preside o conselho rotativo da União Europeia. Os vinhos romenos estavam presentes na festa da vitória. Foto: Claudia Godoy.
Vinho esloveno servido durante a festa que lembrou a vitória da Europa na Segunda Guerra Mundial. Foto: Claudia Godoy.

A encarregada de Negócios citou como mais uma conquista a construção do cabo submarino de fibra ótica que conectará o Brasil e a União Europeia com uma capacidade de 72 terabytes (TB) por segundo. O cabo facilitará as comunicações telefônicas e de imagens entre diferentes pontos do território brasileiro e o continente europeu.

Bebida croata servida na festa da vitória da Europa
na Segunda Guerra Mundial, no Porto Vittoria, em Brasília. Foto: Claudia Godoy.

Segundo o ministro-conselheiro para o mercado digital da representação da União Europeia no Brasil, Carlos Oliveira, o cabo ótico custará € 200 milhões, sendo que desse total a UE já disponibilizou € 25 milhões para o início da implantação do projeto. O restante será financiado por consórcios.

O ministro-conselheiro da UE, Carlos Oliveira (à direita) acompanhado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) , José Antônio Dias Toffoli, na festa do Porto Vittoria. Foto: Claudia Godoy.

Segundo Carlos Oliveira o cabo ótico irá beneficiar primordialmente a rede de institutos de pesquisas e universidades do Brasil e exterior. Para Oliveira o futuro pertence às empresas ligadas à transmissão de dados. “Não será mais das petrolíferas”, disse o ministro-conselheiro durante a festa em comemoração à vitória da Europa na Segunda Guerra Mundial, no dia 8 de maio, no Porto Vittoria, em Brasília.

O Brasil tem um cabo submarino que liga o território brasileiro à Europa, denominado Atlantis 2. Esse cabo, porém, tem uma capacidade de apenas 20 gigabytes, incapaz de atender ao desenvolvimento de transmissão de dados nos últimos anos, sobretudo com o avanço da tecnologia de vídeos e imagens.

Em decorrência da deficiência nas comunicações com a Europa, o Brasil hoje utiliza os cabos submarinos que ligam o território brasileiro aos Estados Unidos para transmitir dados (voz e imagem) internacionais. De lá e de lá os dados são retransmitidos para outras partes do mundo, inclusive a Europa.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

1 thought on “UE lembra conquista da paz, Venezuela e cabo ótico na festa da vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.