Ucrânia torce por reformas no Brasil e quer voltar a ter comércio do início do governo Dilma

O embaixador da Ucrânia, Rostyslav Tronenko, torce pela aprovação das reformas no Brasil com o intuito de retomar o volume de negócios do início do governo de Dilma Rousseff, quando o comércio entre os dois países atingiu US$ 1,5 bilhão.

O embaixador ucraniano em frente à sede da representação diplomática, em Brasília. Foto: Claudia Godoy

Parceiro chave da Ucrânia na América Latina, o Brasil vem registrando aumento no comércio bilateral. No ano passado o aumento foi de 2,5% em relação a 2017. O comércio entre os dois países chegou a US$ 300 milhões, no ano passado. “ Temos muito boas expectativas. Estamos muito otimistas. Quase 1 milhão de descendentes de ucranianos vivem no Brasil”, lembrou o embaixador.

O embaixador ucraniano. Foto: Claudia Godoy

Tronenko ressaltou a importância da parceria com o Brasil lembrando que sua esposa, Fabiana Tronenko, que é brasileira, trabalha pessoalmente junto à comunidade ucraniana no país.

A embaixatriz da Ucrânia, Fabiana Tronenko. Foto: Divulgação.

O Brasil abriga a maior comunidade ucraniana na América Latina, 80% vivem no Paraná e em menor medida em Santa Catarina, São Paulo e Pernambuco. “ Eles preservam os costumes em diversos municípios”, ressaltou O embaixador ucraniano. Prudentópolis, União da Vitória, Mallet , Irati e a região metropolitana de Curitiba são destaque também.

Metropolia é uma parte da Igreja Católica Ucraniana de rito Bizantino Ucraniano, ligada à Santa Sé. Segue as determinações do Santo Padre, o Papa. Foto: Divulgação.

Como boa parte dos católicos orientais, os imigrantes ucranianos preservam o cristianismo. Uma outra parcela continua fiel à tradição oriental da Igreja Católica, fazendo parte da arquieparquia greco-católica ucraniana, em Curitiba.

Já uma parcela menor dos descendentes nunca se afastou da tradição ortodoxa ucraniana, que é ligada ao patriarcado independente do Papa de Roma. Esta é a Igreja Autocéfala. Diversos templos do Paraná e de Santa Catarina guardam a influência deste grupo. A religião é, portanto, forma de manutenção das tradições e perpetução da memória da presença ucraniana no Brasil.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.