Tintim, o repórter que se tornou embaixador

Chamada de Nona Arte, a história em quadrinhos tem na Bélgica Tintim, um jovem repórter que ajudou Bruxelas a se tornar a capital mundial da história em quadrinho. Pela cidade, murais com personagens das histórias em quadrinhos estão pintados em murais e fachadas das casas.

Tintim e seu cachorro Milu. Foto: Divulgação.

A história da Bélgica com os quadrinhos é longa, começou nos anos 20, quando Georges Prosper Remi, mais conhecido como Hergé, em 1929, criou o repórter e herói. Na mesma época, Hergé também criou o jornal com o mesmo nome voltado à juventude.

Hergé e sua criação. Foto: Divulgação.

Nos anos 30, o editor Jean Dupuis lançou o “Le Journal de Spirou” nos mercados franceses, o que consagrou e ajudou a tornar famosos seus personagens. O “Spirou” mantém-se ativo e continua sendo uma das poucas publicações desse gênero no mercado belga.

O Museu dos Quadrinhos. Foto: Divulgação.

O edifício em que se encontra o museu foi projetado em 1905 pelo arquiteto Victor Horta em estilo Art Nouveau e serviu, inicialmente, como uma loja de departamento de têxteis, a Magasins Waucquez.

Após a morte do proprietário em 1920, o edifício foi ficando cada vez mais decadente e a empresa fechou suas portas na década de 1970.

Jean Delhaye, que havia sido ajudante de Horta, salvou o edifício da demolição e, em 1975, o prédio foi reconhecido como um monumento protegido.

O Museu dos Quadrinhos

Em 1980, o arquiteto Jean Breydel e vários artistas de quadrinhos planejaram restaurar o edifício e dar a ele um novo destino como museu dedicado à história dos quadrinhos belgas.

Originalmente, o museu seria uma homenagem a Hergé, mas ele próprio sugeriu honrar toda a indústria belga de quadrinhos.

A turminha de Tintim com trajes de astronauta. Foto: Divulgação.

Finalmente, em 6 de outubro de 1989, o museu foi inaugurado na presença do Rei e da Rainha da Bélgica. Toda essa história é contada em uma das áreas de exposição do museu.

Atualmente, o museu conta com exposições permanentes que são regularmente renovadas e um programa diversificado de exposições temporárias permitem aos visitantes descobrir os inúmeros aspectos da arte de quadrinhos.

O Museu do HQ, na Bélgica.

Tintim e os Smurfs lideram o caminho para novas aventuras, um encontro com um mundo onde a criatividade não tem limites. O museu ainda conta com uma biblioteca, salas de estudo e um auditório.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.