Queda de 11,4% no faturamento do café para este ano

Foto: Ji-Elle/ Wikimedia Commons

O faturamento bruto da cafeicultura brasileira em 2017 deverá ser 11,4% menor do que o do ano passado, segundo estimativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Para este ano, o faturamento foi estimado em R$ 21,632 bilhões, que corresponde a aproximadamente 6% do montante total de R$ 367,978 bilhões.  Em 2016 o setor alcançou receita bruta de R$ 24,404 bilhões.

A Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento ( Mapa ), calcula mensalmente o Valor Bruto da Produção (VBP) com base no faturamento de 21 produtos agrícolas e cinco produtos da pecuária. O VBP de julho de 2017, no contexto global da produção agropecuária, incluindo os dois setores, foi de R$ 535,435 bilhões, sendo os mencionados R$ 367,978 bilhões da lavoura e R$ 167.456 bilhões da pecuária.

Minas Gerais é o maior produtor nacional de café, com R$ 12,141 bilhões, correspondendo a 56,12% do total de café produzido no país; Espírito Santo vem em seguida, com R$ 3,959 bilhões (18,3%); São Paulo em terceiro, com R$ 2,068 bilhões (9,6%); Bahia, com R$ 1,509 bilhões (7%); e Rondônia, com R$ 984 milhões (4,5%).

Os cinco maiores estados produtores de café são responsáveis por 95,5%, que representam R$ 20,661 bilhões do faturamento. Demais estados produtores de café correspondem a R$ 969 milhões da receita bruta, ou seja, 4,5% do VBP café.

No contexto global do VBP, incluindo todos os produtos da lavoura e da pecuária, os valores da produção regional apontam hegemonia da Região Sul do País, com R$ 141,3 bilhões, seguida pelo Centro-Oeste (R$ 138,6 bilhões), Sudeste (R$ 137,5 bilhões), Nordeste (R$ 50,1 bilhões) e Norte (R$ 32,5 bilhões).

Os estados de São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Goiás e Bahia, representam conjuntamente 70,5% do VBP neste ano.