IBGE: prévia da inflação em abril é a maior desde a greve dos caminhoneiros

A prévia da inflação medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aponta a maior taxa desde a greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. Em abril, o índice atingiu 0,72% contra 0,54% em março.

Prateleiras vazias em maio do ano passado em função da greve dos caminhoneiros. Foto: EBC.


Em maio do ano passado, a escassez gerada pela greve dos caminhoneiros provocou aumento de 1,11% no índice.

No acumulado dos 12 últimos meses a prévia atingiu 4,71%. Este índice é o maior desde março de 2017, quando chegou a 4,73%.

As informações são do Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), do IBGE.

Transporte (1,31%), alimentação e bebida (0,92%) puxaram a prévia da inflação para cima. A alimentação em casa ficou 1,43% mais cara, após apresentar alta de 1,91%, em março. O tomate foi o vilão (alta de 27,84%). Depois, aparecem as carnes (+1,55) e as frutas (+3,36).

A carne apresentou aumento de 1,55% e já preocupa. Foto: IBGE

Saúde e cuidados pessoais registraram a segunda maior variação (+1,13%). Esses três últimos grupos representaram 85% da variação da inflação em abril. As demais altas foram de 0,06% para a Educação e 0,57% para os vestuários.

Os preços foram coletados de 16 de março a 12 de abril comparados aos vigentes de 13 de fevereiro a 15 de março de 2019. Foram pesquisadas as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador, Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.