Governo decide por fusão de Embraer e Boeing

O presidente Jair Bolsonaro anunciou neste início de ano que não vai se opor ao acordo de fusão entre a Embraer, brasileira, e a Boeing, norte-americana. As duas são fabricantes de aviões.

A Embraer foi privatizada em 1994, mas o governo brasileiro ficou com o direito da chamada “golden share” ou ação de ouro que dá poder de veto a esse tipo de negociação com a empresa.

Bolsonaro fez o anúncio após se reunir com os comandantes das Forças Armadas. Segundo o presidente, o acordo não fere a soberania nacional e os interesses do país.

Pelo acordo, as atividades de aviação executiva e de defesa e segurança continuarão com a Embraer. Projetos em curso na área de defesa serão mantidos, além de preservação do sigilo. Além disso, a produção de aeronaves continuará sendo no Brasil, garantindo os empregos.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

2 thoughts on “Governo decide por fusão de Embraer e Boeing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.