Globalização: países com grandes populações e baixos salários dominam a produção.

Por: Claudia Godoy

A globalização alterou o panorama internacional porque países com grandes populações e baixos salários passaram a dominar a produção na indústria. Afirmo isso somente para reforçar a minha convicção de que a educação de qualidade e a inovação são aspectos essenciais para qualquer país que esteja querendo se firmar no caminho para o desenvolvimento.

As grandes empresas  internacionalizaram a cadeia produtiva, buscando custos menores e a ideia de uma indústria nacional vai perdendo cada vez mais o sentido. As etapas do processo industrial se distribuem em escala planetária. 

Isso requer mercados mais abertos e ambiente regulatório compatível com as exigências de integração. Hoje é necessário participar das etapas que agregam mais valor na indústria, pois ela está cada vez menos parecida com aquela velha indústria que conhecemos.

O iPAD e o iPhone, por exemplo, têm valor de mercado de cerca de US$ 500, mas apenas US$ 33 de trabalho de manufatura. Na China, onde são montados, o valor de manufatura é de US$ 8. Na verdade, a maior parte do valor do iPhone e do iPAD é imaterial e se produz em escritórios por pessoas que tiveram ideias novas e investiram nelas. Por mentes com formação de qualidade que viviam em países que ofereceram oportunidades. 

O peso da indústria cai no mundo inteiro, creio que com exceção da China. Portanto, é um fenômeno global. As fábricas produzem, de seu lado, cada vez mais em menos espaço e com menos gente.

A política industrial hoje deveria estar voltada para o conhecimento e a inovação. E isso se faz com educação de qualidade e criando nas empresas ambientes que valorizem a invenção e a coragem de assumir riscos.