Embaixada de Bangladesh celebra centenário e volta do Sheikh Mujibur Rahman

A Embaixada de Bangladesh em Brasília realizou sexta-feira passada um ato comemorativo da volta ao país, em 10 de janeiro de 1972, do Sheikh Mujibur Rahman, considerado o Pai da Nação. Nessa data, ele retornou a Dhaka, capital do país já independente, após ser libertado da prisão no Paquistão.

O Sheikh Mujibur Rahman, considerado o Pai da Nação, foi homenageado pela Embaixada bengali. Foto: Claudia Godoy.

A atividade na sede diplomática, que teve como ponto alto o discurso do Embaixador Zulfiqur Rahman, também serviu para dar início às comemorações do centenário do nascimento de Mujibur Rahman, que devem continuar até março do ano que vem.

O embaixador de Bangladesh, Zulfiqur Rahman, durante discurso na sede da representação diplomática, em Brasília. Foto: Claudia Godoy

O herói nacional bengali tinha sido preso em 25 de março de 1971 e levado para o então Paquistão Ocidental. Na época, Bangladesh constituía parte do território paquistanês, com o nome de Paquistão Oriental. Isso ocorria desde o fim do domínio britânico na região, em 1947. Na ocasião, surgiram a Índia e o Paquistão independentes.O Paquistão era um país dividido em duas regiões muito distantes uma da outra, pois no meio ficava o território indiano. Unidas pelo predomínio da religião islâmica, tinham, no entanto, diversas diferenças culturais, étnicas e linguísticas.

O embaixador bengali e a embaixatriz durante a cerimônia que lembrou o Pai da Nação. Foto: Claudia Godoy.

O Sheikh Mujibur Rahman encabeçou a luta pela defesa da identidade e da cultura bengalis, diante da pressão crescente do Paquistão Ocidental, que chegou a querer impor sua própria língua na parte oriental. O movimento pacífico de autoafirmação nacional foi se radicalizando diante da resistência do governo paquistanês a fazer concessões.

A prisão de Mujibur Rahman no início de 1971 ocorreu durante uma violenta repressão lançada pelo Exército Paquistanês. As lideranças bengalis iniciaram então a luta armada pela independência, sentindo que não havia mais como a região oriental permanecer unida ao Paquistão Ocidental.

Muita gente morreu no conflito, mas Bangladesh obteve a independência em 16 de dezembro de 1971. Faltava apenas a volta ao país do Pai da Nação. Diante da realidade da derrota e da pressão internacional, o governo paquistanês optou por libertar Mujibur Rahman.

O embaixador Zulfiqur Rahman durante o discurso. Foto: Claudia Godoy.

O Embaixador Zulfiqur Rahman exaltou o sacrifício dos que lutaram pela independência junto com o Pai da Nação, que infelizmente foi assassinado com a maior parte dos seus familiares em 1975, durante um golpe de estado. Hoje, a filha do herói nacional, Sheik Hasina, é a primeira-ministra de Bangladesh. Ela e uma irmã sobreviveram ao massacre, por estarem no exterior.

O adido de Defesa bengali e contra-almirante Syed Misbah Uddin Ahmed (de branco) . Foto: Claudia Godoy

O adido de Defesa, contra-almirante Syed Misbah Uddin Ahmed também usou da palavra, destacando a estatura política internacional do Sheik Mujibur Rahman, reconhecida pelas lideranças políticas da época, como o cubano Fidel Castro, que afirmou após abraçá-lo na Conferência dos Países Não Alinhados em Argel, 1973: “Eu não vi os Himalaias. Mas eu pude ver o Sheikh Mujibur. Em personalidade e coragem, esse homem é como a Cordilheira dos Himalaias.”

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

4 thoughts on “Embaixada de Bangladesh celebra centenário e volta do Sheikh Mujibur Rahman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.