Diz a lenda que no Castelo de Bran viveu Vlad, O Empalador, um príncipe cruel da Valáquia, na Romênia.

Entre a Transilvânia e a Valáquia, encravado na floresta, no sopé dos Cárpatos, a 200 metros de altura, está o Castelo do Drácula. Conhecido também como o Castelo de Bran, a construção dos cavaleiros da Ordem Teutônica é de 1212. Está na entrada de um vale pelo qual mercadores passaram por mais de um milênio.

O Castelo do Drácula no sopé dos Cárpatos.

Há agências de turismo especializadas em levar turistas para conhecer o castelo. Informa o embaixador da Romênia no Brasil, Stefan Mera.

Diz a lenda que o voivoda (príncipe) Vlad Tepes, apelidado de O Empalador porque mandava empalar os inimigos ainda vivos, teria utilizado o castelo diversas vezes com fins militares. O príncipe era filho de Vlad II Dracul, também voivoda da Valáquia, e lutou contra o expansionismo do islã na Europa Oriental.

No final do século XIX o escritor irlandês, Bram Stoker, pesquisava a mitologia europeia quando viu uma foto do castelo. Decidiu que escreveria o Conde Drácula e o castelo seria habitado pelo príncipe romeno. Para sempre, Stoker mudaria a percepção do mundo sobre a Transilvânia e a Romênia.

Em 1956, sob o domínio comunista, o castelo tornou-se museu. Até hoje apresenta aos turistas arte, decoração e armas originais da realeza.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.