Destino de 1,6 mil brasileiros por ano, Cazaquistão tem única floresta do mundo onde maçãs nascem selvagens

Cazaquistão se traduz como “Terra das Maravilhas” e o país é tão grande quanto o Brasil, possuíndo fronteiras com Rússia, China, Uzbequistão, Quirguistão e Turcomenistão. Os brasileiros não precisam de visto para visitar o país.

Com tantos vizinhos diferentes, o Cazaquistão possui vários cinturões climáticos. “Somos grandes como o Brasil e por isso temos Inverno no Norte, florestas, estepes e lagos nas outras regiões”, disse o embaixador cazaque, Kairat Sarzhanov.

A floresta é uma das únicas do mundo onde ainda nascem maçãs selvagens. Vários tipos da fruta são encontradas em abundância na antiga capital do país, Almaty.

A cidade de Almaty, nome que quer dizer “lugar das maçãs”, é a maior do Cazaquistão. Foto: Divulgação.

A antiga capital cazaque, Almaty, foi lembrada pelo embaixador Sarzhanov que a classificou como “maravilhosa” por ela possuir muitos parques e áreas verdes que no Inverno ganham atividades como patinação no gelo e esqui. A cidade é cosmopolita e possui, ainda, estações de metrô grandiosas como as russas.

Palácio da Paz e da Reconciliação, em Nursultan, que representa a fé religiosa no mundo, foi projetado pelo arquiteto Norman Foster. Foto: Divulgação.

O Cazaquistão mudou sua capital para Astana, que neste ano passou a se chamar Nursultan e fica no norte do país. Brasília e Nursultan iniciaram no ano passado um processo para se tornarem cidades-irmãs. De acordo com o embaixador, as duas capitais apresentam similaridades, como o próprio planejamento urbanístico. “Destacamos muitos aspectos em comum, como as duas cidades terem sido planejadas e sido iniciadas por presidentes da República”, disse o embaixador cazaque.

O embaixador cazaque durante entrevista para o portal Bacuri Brasil. Foto: embaixada do Cazaquistão.

No Parque Nacional Atlyn Emel, as chamadas “dunas cantantes” se estendem por 4.600 km2, e por causa do som provocado pelo vento na areia recebem esse nome.

Já o Canyon Charyn, na fronteira com a China, e a estação de esqui de Shymbulak, coberta de neve entre novembro e maio, são outras atrações muito interessantes no país.

A independência do Cazaquistão da antiga União Soviética ocorreu em 1991, deixando como legado algumas particularidades, a começar pelo idioma oficial, que é russo e cazaque.

Mas o país começou há três anos a mudar o seu alfabeto oficial do cirílico para outro baseado no latim, que é o utilizado pela maior parte das línguas ocidentais. “Uma forma de integração com a sociedade mundial”, informou Sarzhanov. Prevista para ocorrer em etapas até 2025, a transição vai sair cara – o governo estima algo próximo de R$ 2,5 bilhões.


O plano diretor da cidade foi projetado pelo arquiteto japonês Kisho Kurokawa. Em Nursultan está o parlamento cazaque, a Suprema Corte, o Palácio Presidencial e vários departamentos e agências governamentais. Também estão na capital, que já é a segunda mais populosa do pais, muitos edifícios, hotéis e arranha-céus com arquitetura futurista.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.