Comércio entre Brasil e Equador é de US$ 1 bilhão

O Brasil tem um superávit (vendas maiores que compras) elevado nas trocas bilaterais com o Equador. No ano passado, o país exportou US$ 800 milhões para o mercado equatoriano enquanto o Equador vendeu ao Brasil US$ 200 milhões. “Houve um período em que as vendas caíram 20% em função da ação de produtos brasileiros de camarão, mas hoje as exportações se normalizaram”, disse o embaixador do Equador, Diego Ribadeneira.

O embaixador do Equador, na sede da representação diplomática, em Brasília. Foto: Claudia Godoy

O Brasil vende ao Equador automóveis, autopeças, aparatos eletrônicos e calçados. Já o Equador exporta para o Brasil peixes como atum, camarão e derivados de cacau. “Redes varejistas, como Carrefour e Pão de Açúcar compram o atum equatoriano para as suas marcas”, informou Ribadeneira.

Os equatorianos são fornecedores de atum para a marca própria dos supermercados Pão de Açúcar. Foto: Divulgacão.
Os supermercados Carrefour compram o atum equatoriano para a sua marca própria. Foto: Divulgacão.
O camarão equatoriano. Foto: Divulgacão

A Linha do Equador passa pelo território equatoriano favorecendo a agricultura e a pesca. Eles produzem frutas, como banana e cacau, além de flores de altíssima qualidade. O famoso chapéu do Panamá também é produzido, na verdade, no Equador. “Temos produtos de maior qualidade com grande potencial para serem vendidos”, afima o embaixador equatoriano.

O chamado empuxo gravitacional da Terra é ligeiramente mais fraco no equador devido a sua protuberância equatorial. Foto: Divulgacão.

O embaixador equtoriano lembra que as relações diplomáticas do Equador com o Brasil são longas. O vice presidente, Otto Sonnenholzner, e o chanceler equatoriano, José Valência, estiveram no Brasil, durante a cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro, em janeiro deste ano. “Conversamos com o governo brasileiro sobre a atualidade e temos posições similares em relação aos principais temas latino-americanos”, disse Ribadeneira.

Para o embaixador, no entanto, as relações diplomáticas entre os dois países transcendem os partidos políticos. “O Brasil sempre esteve presente no Equador. Participou de obras importantes, como construção de estradas e hidrelétricas”, afirmou.

O Brasil também ajudou a intermediar a paz entre Equador e Peru, em 1998. A chamada Guerra de Cenepa ou Guerra de Tiwinza começou em 1995 por causa de disputas territoriais na fronteira entre os dois países.


Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

2 thoughts on “Comércio entre Brasil e Equador é de US$ 1 bilhão

  1. I would like to thnkx for the efforts you’ve put in writing this site. I am hoping the same high-grade website post from you in the upcoming also. In fact your creative writing skills has inspired me to get my own web site now. Really the blogging is spreading its wings quickly. Your write up is a great example of it.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.