Com comércio bilateral de R$ 60 bilhões, Alemanha espera incrementar investimentos no Brasil após acordo UE/Mercosul

A balança comercial entre Brasil e Alemanha fechou o ano passado com um volume de € 16 bilhões, o equivalente a R$ 60 bilhões.

O Brasil compra carros, autopeças, máquinas, ferramentas e produtos industrializados alemães.

Carros alemães vendidos no Brasil. Foto: Divulgacão
Gado brasileiro no pasto. Foto: Ministério da Agricultura.

Já o Brasil vende aos alemães produtos agrícolas (carne, soja e algodão), mas também peças de aviões. “Temos muito potencial para ampliar o comércio”, garante o embaixador da Alemanha, Georg Witschel.

O embaixador alemão na sede da representação diplomática, em Brasília. Foto: Claudia Godoy

No ano passado, o comércio bilateral registrou um superávit alemão nas trocas comerciais, com um aumento nas exportações alemãs para o Brasil de cerca de 10%, atingindo € 9,4 bilhões. Já o Brasil apresentou uma queda de 3,8% nas suas vendas, alcançando € 7,4 bilhões de euros. “Parece muito, mas no comércio total o Brasil poderia estar melhor. afirma Witschel.

Wischel e Damaris Jenne, 1 secretária de Assuntos Culturais e Imprensa da embaixada alemã. Foto: Claudia Godoy

Os alemães estão muito presentes também quando o assunto é preocupação ambiental e direitos humanos no Brasil. “De interesse não só da América Latina, mas também do Brasil e do mundo”, disse o embaixador.

Somente o volume de recursos alemães utilizados na preservação do meio ambiente e em energia sustentável, no Brasil, atinge de R$ 8 a R$ 10 bilhões de reais em projetos como VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), no Rio de Janeiro, metrô, em Salvador, além de vários outros projetos de geração e distribuição de energia renovável.

Construção do VLT na capital carioca. Foto: Divulgacão.
O VLT funcionando no Rio de Janeiro. Foto: Divulgacão

Já os investimentos alemães no mercado brasileiro Brasil atingem hoje R$ 4 bilhões. O acordo firmado na semana passada pela União Europeia e o mercosul deverão incrementar ainda mais o volume de recursos investidos no país. “Com o acordo de livre comércio, tenho certeza que não somente as importações e exportações irão crescer, mas também os investimentos”, garantiu o embaixador alemão.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.