Bolívia possui 60% da reservas mundiais de lítio

A Bolívia possui 60% de todas as reservas mundiais de lítio, um metal volátil e o mais leve da Tabela Periódica, encontrado em abundância no Salar de Uyuni, que possui um mar de água e cloreto de sódio. Segundo o embaixador da Bolívia, José Kinn Franco, a Bolívia se prepara para entrar no mercado do mineral.

A embaixada da Bolívia realizou nesta segunda-feira (05) festa para celebrar a data nacional boliviana. Kinn Franco ressaltou em discurso o diálogo de boa vizinhança, amizade e paz com o Brasil. “Tivemos momentos críticos, mas foram superados”, disse o embaixador boliviano.

O embaixador da Bolívia acompanhado pela embaixatriz, Gilda Ruiz (de vestido azul) e pelo embaixador da Guatemala, Júlio Martini,k e embaixatriz. Foto: Claudia Godoy.

O Salar de Ayuni é a maior planície de sal do planeta, com aproximados 10 mil quilômetros quadrados de deserto branco em meio ao altiplano andino da Bolívia. Também é um dos mais conhecidos pontos turísticos da América do Sul.

O Salar de Ayuni, que possui 60% das reservas de lítio do Planeta. Foto: Divulgação.

Hoje o Chile é o principal produtor mundial. A Argentina, outro produtor, possui indústria em apenas um local de extração e está em terceiro lugar, depois da China.

O lítio é essencial na fabricação de baterias recarregáveis para carros elétricos, notebooks e telefones celulares.

As baterias que têm o material entre os seus componentes têm o triplo de energia e o dobro da potência das baterias tradicionais, feitas de níquel metal.

Além disso, o lítio garante baterias mais leves, cruciais para a fabricação de automóveis elétricos com maior capacidade de armazenamento de energia e autonomia para percorrer longas distâncias.

Kinn Franco acompanhado pela embaixatriz boliviana (de azul) e funcionária durante discurso. Foto: Claudia Godoy.

Kinn Franco parabenizou o governo brasileiro por “ter colocado a amizade histórica entre os dois países em primeiro plano”. Acordos já firmados entre as duas nações nas áreas de gás, eletricidades e o trem de integração oceânico foram destacados pelo embaixador.

Os maiores clientes do lítio são as grandes empresas líderes em produção de baterias recarregáveis. Vêm do Japão, EUA, China e Alemanha.

Os automóveis elétricos, grandes promesas do futuro, como também notebooks, câmeras fotográficas digitais e telefones celulares dependem do lítio para o seu funcionamento.

Author: Claudia Godoy

Jornalista e fotógrafa, atuei na cobertura de imprensa nos Ministérios da Fazenda, Agricultura, Planejamento, Indústria e Comércio, Relações Exteriores, Saúde, Educação, além de Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Banco Central. Também repórter e produtora de rádio e tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.