segunda-feira, 17 junho, 2024
10.5 C
Brasília

Cuba lembra 129 anos da morte de José Martí

OUTROS DESTAQUES

Por Claudia Godoy

O embaixador de Cuba, Adolfo Curbelo Castellanos, depositou flores, nesta sexta-feira, 17, em Brasília, em homenagem ao mais universal dos cubanos, o heroi nacional José Martí.  O diplomata abriu o discurso de homenagem lamentando as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.  O aniversário de 129 anos da morte de Martí é neste domingo,  dia 19.

Cerca de 30 embaixadores de nações acreditadas em Brasília, além da comunidade cubana e imprensa estavam presentes à cerimônia. 📸Claudia Godoy
Os cubanos fizeram uma bela homenagem ao heroi nacional de Apóstolo da Independência,  José Martí.  📸Claudia Godoy
A comunidade cubana estava presente à homenagem ao heroi nacional. 📸Claudia Godoy. 
Após a morte de Martí, em maio de 1895 em Dos Ríos, no leste de Cuba, sua obra “Versos Sencillos” (Versos Singelos) inspiraram a canção “Guantanamera”, muito conhecida aqui no Brasil. 📸Claudia Godoy.
A segurança do 5° Batalhão do Rio Branco estava presente ao evento, em Brasília, em homenagem ao heroi cubano. 📸Claudia Godoy. 

Castellanos lembrou Martí como um defensor da justiça. “A morte não é verdadeira quando o trabalho da vida foi bem realizado”, escreveu o cubano José Martí pouco antes de sua morte em 19 de maio de 1895. A frase foi lembrada por Castellanos para  marcar a data. Cerca de 30 embaixadores de nações acreditadas em Brasília, além da comunidade cubana e imprensa estavam presentes à cerimônia. 

Após a morte de Martí, em maio de 1895 em Dos Ríos, no leste de Cuba, sua obra “Versos Sencillos” (Versos Singelos) inspirou a canção “Guantanamera”, muito conhecida aqui no Brasil. Além disso, os conceitos de liberdade e democracia, temas proeminentes em todas as suas obras, influenciaram poetas, como o  nicaraguense Rubén Darío e a poetisa chilena Gabriela Mistral.

José Martí,  o mártir da independência cubana. 📸divulgação

spot_img
spot_img