segunda-feira, 17 junho, 2024
10.5 C
Brasília

Embaixadora já retirou o primeiro mel do meliponário do Quilombo África

OUTROS DESTAQUES

Por Claudia Godoy

O Quilombo África, em Moju, no Pará, já começou a produzir o mel das abelhas patrocinadas pela embaixada da Eslovênia. 

O projeto esloveno começou em setembro do ano passado no Quilombo África com o intuito de levar renda e auxílio na biodiversidade da floresta.📸Claudia Godoy
A embaixadora eslovena pode provar e levar uma amostra do mel para Brasília.
📸Claudia Godoy
A embaixadora da Eslovênia avalia que agora os próximos passos são mostrar às pessoas a importância que o mel produzido no Quilombo África tem para a comunidade. 📸Claudia Godoy

A embaixadora Mateja Kracun visitou nesta quarta-feira,  17, a comunidade para colher o primeiro mel.

O projeto esloveno começou em setembro do ano passado no Quilombo África com o intuito de levar renda e auxílio na biodiversidade da floresta.

Na Eslovênia nasceu o pai da apicultura moderna Anton Janša, que inspirou a ONU a instituir o Dia Mundial da Abelha, no dia 20 de maio.

A embaixadora da Eslovênia avalia que agora os próximos passos são mostrar às pessoas a importância que o mel produzido no Quilombo África tem para a comunidade

A diplomata levou as primeiras caixas para a comunidade quilombola do Pará,  em setembro do ano passado, mas as primeiras abelhas chegaram à comunidade em janeiro deste ano. Cerca de 30 colmeias agora já estão produzindo as primeiras remessas de mel.

Para Hanna Maués,  gestora do Instituto Peabiru,  que auxilia a embaixada eslovena no projeto, a realização do trabalho não seria possível. Maués explicou que o apoio financeiro é essencial para viabilizar as ideias.

spot_img
spot_img