sábado, 13 abril, 2024
21.5 C
Brasília

Informativo: Relações entre o Brasil e os Estados Unidos

OUTROS DESTAQUES

 

Por Embaixada dos Estados Unidos

A visita do secretário Antony J. Blinken a Brasília, Brasil, em 20 de fevereiro de 2024, ressalta o compromisso dos Estados Unidos em apoiar os objetivos do Brasil durante sua Presidência do Grupo dos 20 (G20). O secretário Blinken se reunirá com o presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, antes da Reunião de Ministros das Relações Exteriores do G20 no Rio de Janeiro. O secretário reafirmará nosso interesse mútuo em garantir a paz internacional, reconhecendo os direitos dos trabalhadores, promovendo equidade racial e acabando com o desmatamento. 

Relações Brasil-EUA

Este ano marca o bicentenário das relações entre o Brasil e os EUA. Após a independência do Brasil em 1822, os EUA foram um dos primeiros países a reconhecer a nação em 1824. Como as maiores democracias do Hemisfério Ocidental, a parceria entre o Brasil e os EUA está enraizada em um compromisso compartilhado com o crescimento econômico e a prosperidade sustentáveis; promoção da paz internacional, segurança e respeito pelos direitos humanos; proteção do meio ambiente e biodiversidade; e cooperação em defesa, saúde e segurança. 

Relações Econômicas entre Brasil e EUA

  • O Brasil é a décima primeira maior economia do mundo, e os EUA são o segundo maior parceiro comercial do país. Em 2022, o comércio bilateral de bens e serviços totalizou 120,7 bilhões de dólares. 
  • As principais importações dos EUA ao Brasil são produtos industriais e relacionados à energia, como combustíveis refinados, gás natural, fertilizantes, aeronaves e instrumentos médicos. Os principais produtos de exportação do Brasil para os EUA são petróleo bruto, aeronaves, ferro e aço, café e celulose. 
  • As exportações dos EUA para o Brasil sustentam quase 130 mil empregos nos EUA, e dados do setor privado dos EUA mostram que as exportações brasileiras para o país sustentam mais de 500 mil empregos no Brasil. 
  • De acordo com o Banco Central do Brasil, o investimento estrangeiro direto dos EUA no país totalizou 191,6 bilhões de dólares em 2021, de longe o maior de qualquer outra nação. 
  • O Brasil e os EUA buscam expandir o Acordo Bilateral de Comércio e Parceria Econômica (ATEC) para impulsionar mais comércio e investimento. 

 Relações Brasil-EUA em Direitos Humanos:

  • Desde 2015, os dois países se engajam por meio do Diálogo Global de Trabalho em Direitos Humanos Brasil-EUA em questões multilaterais e bilaterais relevantes. No diálogo mais recente em fevereiro de 2022, os dois países discutiram melhor alinhamento dentro das Nações Unidas, bem como questões bilaterais importantes, como violência policial e preconceito racial, equidade de gênero, proteção dos direitos dos povos indígenas e defensores ambientais, negócios e direitos humanos, e proteção e promoção da liberdade religiosa. 
  • Em maio de 2023, os governos do Brasil e dos EUA relançaram o Plano de Ação Conjunta Brasil-EUA para Eliminar a Discriminação Racial e Étnica e Promover a Igualdade (JAPER), cumprindo o compromisso de fevereiro de 2023 dos presidentes Biden e Lula de revitalizar o JAPER como parte de seu compromisso de enfrentar as desigualdades raciais e étnicas em ambos os países. 
  • Em setembro de 2023, os presidentes Biden e Lula lançaram a Parceria pelos Direitos dos Trabalhadores, a primeira iniciativa global conjunta Brasil-EUA para avançar os direitos dos trabalhadores em todo o mundo. Com essa nova iniciativa, os EUA pretendem fortalecer e expandir a cooperação bilateral existente sobre essas questões e melhorar a coordenação com partes interessadas trabalhistas do Brasil e dos EUA e a Organização Internacional do Trabalho para enfrentar alguns dos desafios mais relevantes enfrentados pelos trabalhadores em todo o mundo.

Engajamento Brasil-EUA no Clima:

  • O Brasil possui uma das matrizes de geração de energia mais limpas do mundo, com uma forte dependência de energia hidrelétrica, além de uma capacidade crescente de energia solar e eólica. Mais de 60% da Floresta Amazônica – um sumidouro de carbono de importância global – está dentro das fronteiras do Brasil. 
  • Embora as taxas de desmatamento tenham aumentado na última década, o governo Lula se comprometeu a acabar com o desmatamento até 2030 e atingir emissões líquidas zero até 2050. 
  • Os EUA aplaudem o sucesso do Brasil em reduzir pela metade o desmatamento na Amazônia em 2023. 
  • Os EUA atualmente fornecem apoio técnico e financeiro por meio de várias formas, incluindo programas da USAID, o Fórum de Energia Brasil-EUA e diversos diálogos focados na transição para energia limpa. 

Cooperação Educacional e Cultural Brasil-EUA:

  • O Brasil e os EUA têm uma longa história de laços entre pessoas por meio de investimentos e intercâmbios em educação, cultura, esportes, energia, saúde, agricultura, ciência e tecnologia, treinamento em língua inglesa e inovação. 
  • Mais de 60 mil jovens, estudantes, acadêmicos, professores e profissionais participaram de intercâmbios culturais e educacionais entre os dois países. 
  • Quarenta e dois centros EducationUSA ajudam estudantes brasileiros do ensino médio e universitários a acessar oportunidades de estudar nos EUA.

Cooperação em Tecnologia e Defesa Brasil-EUA:

  • O Brasil e os EUA estão fortalecendo a cooperação em questões de defesa, incluindo pesquisa e desenvolvimento, segurança tecnológica e aquisição e desenvolvimento de produtos e serviços. Sob o guarda-chuva do Acordo de Cooperação em Defesa Brasil-EUA de 2015, uma variedade de acordos e iniciativas de cooperação em segurança promovem exercícios conjuntos e facilitam o compartilhamento de capacidades e tecnologias sofisticadas. 
  • O Brasil tornou-se um Grande Aliado Não-OTAN dos EUA em julho de 2019. 
  • Em março de 2022, o Congresso brasileiro ratificou o Acordo de Pesquisa, Desenvolvimento, Teste e Avaliação (RDT&E) com os EUA, permitindo parcerias potenciais entre empresas de tecnologia de defesa do Brasil e dos EUA. 
  • O projeto de Acordo de Aquisição de Defesa Recíproca (RDPA) foi lançado pelo Brasil para um período de comentários públicos de 60 dias no início de fevereiro de 2024; o RDPA geraria benefícios econômicos e de segurança para ambos os países. 

Assistência dos EUA ao Brasil:

  •  Os Escritórios de Narcóticos Internacionais e de Aplicação da Lei (INL) e de Assuntos Oceânicos e Internacionais de Meio Ambiente e Científicos (OES), juntamente com o Serviço de Vida Selvagem e Pesca dos EUA, Departamento de Justiça dos EUA, Serviço Florestal dos EUA e outros parceiros, fornecem treinamento para as forças policiais e setor judiciário brasileiros para apoiar seus esforços no combate aos crimes ambientais que afetam os dois países e a região. O governo dos EUA também emprega uma variedade de programas do INL para aumentar a capacidade dos parceiros brasileiros de aplicação da lei. O treinamento financiado pelo INL, liderado pela Agência de Repressão às Drogas, pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime e por outros parceiros, desenvolve a capacidade do Brasil de melhorar a segurança dos cidadãos, interceptar drogas e combater a expansão de organizações criminosas transnacionais baseadas no Brasil que ameaçam a segurança e a prosperidade dos EUA. 
  • O governo dos EUA também fornece assistência de segurança às instituições militares dentro do Ministério da Defesa do Brasil. Por exemplo, o Programa Global de Reforma da Defesa cultivou uma parceria de longo prazo com o Colégio Superior de Defesa do Brasil e continua a fortalecer sua capacidade institucional e currículo. 
  • Desde o ano fiscal de 2017, o governo dos EUA forneceu mais de 3,6 bilhões de dólares em assistência humanitária, econômica, de desenvolvimento e de saúde para proteger e assistir os venezuelanos em toda a região, dos quais mais de 178 milhões de dólares os apoiaram dentro do Brasil. 
  • A USAID participa de uma parceria bilateral de longa data com o governo do Brasil em várias prioridades conjuntas, incluindo a conservação da biodiversidade na Amazônia, parcerias com o setor privado para promover melhores práticas e recursos para estimular soluções de desenvolvimento para a conservação da biodiversidade e sustentabilidade socioeconômica dos meios de subsistência da Amazônia. 

Membro do Brasil em Organizações Internacionais:

  • Brasil e EUA compartilham o compromisso com o engajamento multilateral por meio de muitas organizações internacionais, incluindo as Nações Unidas, a Organização dos Estados Americanos, o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o G20, o Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial e a Organização Mundial do Comércio. 
  • Nos últimos dois anos, o Brasil se associou aos EUA para fornecer treinamento pré-desdobramento ao Batalhão das Forças de Defesa do Malauí implantado na missão de manutenção da paz na República Democrática do Congo. Seus instrutores melhoraram o treinamento pré-desdobramento e aumentaram o desempenho do Malauí na missão. 
  • Em 2023, o Brasil ocupou a Presidência da Associação Latino-Americana de Centros de Treinamento para Operações de Manutenção da Paz (ALCOPAZ). Sob a liderança do Brasil, a ALCOPAZ desenvolveu um curso de Gestão Ambiental em Operações de Paz, que foi oferecido regionalmente em setembro. 

Parceria para a Cooperação no Atlântico:

  • O Brasil é um membro ativo e uma voz positiva na Parceria para a Cooperação no Atlântico, uma iniciativa da Casa Branca lançada em 18 de setembro de 2023. A Parceria, composta por 38 países, permite que os estados costeiros do Atlântico colaborem em desafios comuns para promover uma região atlântica pacífica, estável, próspera, aberta, segura e cooperativa, além de promover recursos atlânticos saudáveis, sustentáveis e resilientes. 
spot_img
spot_img